10 filmes de terror found footage (na Netflix ou não)

Desde que a Bruxa de Blair estourou nos cinemas em 1999, uma série de diretores tem tentado capturar o clima de terror em filmes found footage (aqueles de câmera na mão) que quase nunca conseguem estabelecer o clima de realidade e pavor do original.

Mas tem alguns que se destacam por tentar e pela ousadia da trama. Escolhemos a dedo 10 deles, boa parte deles no Netflix (até a postagem dessa lista), pra você poder aproveitar e ficar apavorado também.

10) Lake Mungo

Em estilo documentário feito para a TV, Lake Mungo narra o mistério do desaparecimento de uma garota e estranhos fenômenos que começam a acontecer com seus pais e irmão após sua suposta morte.

Um suspense com pitadas de sobrenatural, Lake Mungo desenvolve o mistério até seu limite, com cenas que deixam o espectador tenso até o último minuto. Também não abraça o final normalmente desesperançoso desse tipo de filme, optando por uma resolução mais esperançosa.

9) Holocausto Canibal

Pai do gênero found footage, antes mesmo de Bruxa de Blair, mas sem seu sucesso, o filme é uma viagem perturbadora ao coração da amazônia, onde uma equipe de documentaristas tenta encontrar uma tribo de índios canibais.

Apesar de ganhar uma versão recentes nos cinemas, o original ainda consegue incomodar o espectador com cenas de extrema violência gráfica. Fica o aviso: o filme é extremamente pesado…e o trailer também

8) VHS 2

 

A série VHS acertou em cheio no formato de seus contos, todos em primeira pessoa e, normalmente sobrenaturais. Seu volume 2 tem momentos de pura genialidade, como a invasão do lago e, principalmente, a sequência em um culto satânico.

Os demais contos acabam tirando o impacto dessas duas histórias, mas nem por isso são ruins. Pelo contrário, mostram de forma muito criativa e ardilosa como criar tensão em poucos minutos.

7 – REC (Netflix)

Filme espanhol que conquistou o público e fãs de horror, REC se diferencia por misturar zumbis de forma científica e sobrenatural, apostando em sustos rápidos, violência gráfica e os 10 minutos finais mais tensos da última década.

Mesmo que as continuações não tenham se equiparado ao original, ainda vale apena conferir o desenrolar da história, principalmente em REC 3, onde os criadores brincam com o conceito de found footage.

6 – Bruxa de Blair

O filme indie contou com uma ação de marketing incrível para fazer os espectadores acreditarem que a história aconteceu de verdade. E enganou muita gente por algum tempo. Hoje, talvez seja difícil de entender o impacto da produção que consegue apavorar sem mostrar absolutamente nada.

Mas se você estiver no clima certo, consegue se surpreender com a carga de horror que a produção consegue impor.

5) The Bay (Netflix)

Mais um found footage em estilo documental, A Baía é para quem tem estômago forte. Um parasita infecta uma cidade costeira dos EUA e pela água dizima sua população em um dia. Uma repórter tenta contar a história encoberta pelo governo.

Chega a dar medo de ir à praia após o filme e as cenas de morte são extreamente nojentas. O próprio parasita é algo que saído de um pesadelo. Com uma ótima carga de tensão e nojo, novamente, é um filme para os fortes.

4) Contatos de 4.º grau (Netflix)

Tá certo que a produção que tem Mila Jovovich no elenco em estilo documentário pode fugir um pouco das convenções do gênero. Mas a audácia de dizer que se trata de fatos reais e utilizar cenas que teriam sido gravadas em sessões reais é uma tacada de gênio.

A produção é uma das poucas que consegue estabelecer um clima de terror e verossimilhança utilizando abdução alienígena como poucos conseguiram retratar até hoje.  Mesmo que o final exagere um pouco e fuja um pouco daquilo que consideramos aceitável, ainda assim, é de um horror genuíno e muito bem construído.

3) Fenômenos Paranormais (Netflix)

Uma equipe de um programa para canal fechado (tipo aqueles do Discovery) vai para um hospício abandonado tentar registrar experiências com o outro mundo. Mas quando as coisas ficam cabeludas e eles tentam sair, descobrem que não há escapatória.

Legítima surpresa descobrir que o filme é realmente um terror de fazer cair o queixo. Brincando com a percepção dos personagens e espectador, a produção apresenta ideias originais e um sentimento de claustrofobia perturbador. Ganhou uma sequência, mas ela não faz jus ao original.

2) Alien Abduction

Iep, eu tenho medo de filmes de ETs e esse é um épico no assunto. O filme não perde tempo de jogar o espectador no meio de uma fuga desenfreada de alienígenas que não tem o menor pudor para a saúde mental ou física dos personagens. Mesmo que a explicação para a filmagem não convença muito (o garoto autista quer registrar o que acontece com sua família), a produção compensa design horripilante dos ETs e com uma sensação de paranoia.

Pouco se fala do filme por aqui, mas é um exemplar de found footage que acerta na receita e te deixa na ponta do sofá até a última cena.

1) Noroi – A Maldição

Os japoneses sabem fazer terror como ninguém. E Noroi é mais uma prova disso.  O filme mostra a história de um produtor que tenta desvendar o caso de uma família que parece causar a morte das pessoas que passam pelo seu caminho. Mas o que ele descobre começa a ultrapassar os limites da razão.

Ótimo exemplo de como construir um suspense e terror sem pressa e de qualidade. A câmera na mão só torna a experiência ainda mais incômoda, principalmente pelo pouco uso de efeitos especiais e a baixa qualidade das câmeras. Uma experiência incomparável que todo fã do gênero precisa assistir.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s